Se você já deu uma espiada na nossa seção de cutelaria, deve ter reparado que há vários formatos e nomes de facas:

Por que será que existem tantos tipos de facas?

Essa variedade existe, porque cada faca vai se destacar melhor em uma atividade que em outra. Para conseguir cumprir essa função, com a maior precisão, é preciso que ela seja desenhada, cuidadosamente, para conseguir desempenhar tarefas específicas. Antes de conhecer sobre essas tarefas específicas, você vai aprender a reconhecer as partes da faca e para que serve cada uma delas.

Quais as partes da faca?

Ao pensar em uma faca, é possível que você descreva que é um objeto que corta. E essa resposta está correta. Porém, ela é formada por várias partes, que juntas, resultam no bom desempenho da faca.

As principais partes da faca são: ponta, fio de corte, dorso, calcanhar, cabo, espiga e reforço. Não se assuste com os nomes, pois quando você souber para que servem, vai fazer mais sentido.

Vamos a elas?

Ponta

A ponta fica no final da lâmina, do lado oposto ao cabo. Você pode usar para fazer marcações ou furar alimentos.

Fio de corte

A parte afiada, que corta, é conhecida como fio de corte.

Se você não tiver o costume de afiar essa faca com frequência, e mesmo assim, ela continuar com um bom desempenho, é um indício que ela tem boa qualidade.

Dorso

Essa parte é a parte oposta ao fio de corte.

Possui uma espessura maior, pois é ele quem dá a sustentação para a lâmina.

Quanto mais grosso for o dorso, mais forte será a faca, além de propiciar maior equilíbrio.

Se o dorso for fino, em relação ao fio de corte, a faca pode ficar flexível e até perigosa.

Calcanhar

É a parte final do fio de corte. Costuma ficar próximo ao cabo e ser localizado na parte mais larga da faca. Serve de apoio para cortes de alimentos mais encorpados e firmes.

Cabo

É a parte que a sua mão vai envolver, com segurança, durante a execução dos cortes.

Espiga

A parte não afiada da lâmina, que fica no interior do cabo.

Serve para causar equilíbrio na faca.

Previne acidentes, pois como é a continuação da lâmina, impede que a parte da lâmina que está fora do cabo se solte durante o seu manejo.

Reforço

Muita gente não sabe, mas é um dispositivo de segurança.

É a parte não afiada, entre o cabo e a lâmina.

Serve para proteger a mão, caso ela escorregue em direção à lâmina.

Coronha

É a parte final da faca, oposta ao cabo.

Quais as diferenças das facas que você compra na FS Comercial?

Faca de cozinha

A faca de cozinha também é conhecida como Faca do chef. Ela leva esse nome, devido à sua capacidade de se adaptar a várias situações. Sua ponta destacada, permite que se façam marcações, sem dividir a peça.

A lâmina tem uma curvatura, que permite o movimento de vai e vem de forma mais confortável.

O seu calcanhar largo, permite que ela suporte maior pressão e consiga um melhor resultado em alimentos como cenoura, batata doce ou a moranga.

Se você tivesse que escolher apenas uma faca, com certeza seria essa.

Faca de legumes

Não deixe o tamanho da faca de legumes lhe enganar! Essa faca parece pequena, mas é bem forte.

É capaz de cortar e picar vegetais firmes, como a mandioquinha, pois seu tamanho permite ter maior mobilidade no manuseio.

Por outro lado, seu tamanho também permite ter maior maleabilidade e fazer trabalhos mais delicados como: descascar os vegetais e remover as sementes.

Embora essa faca tenha um formato bem diferente da faca de cozinha, tem várias das suas funções, porém, se destaca quando se trata de trabalhos menores.

Faca de desossa

A faca de desossa é bem leve, para que, ao retirar a carne presa em volta do osso, ela não saia danificada.

A lâmina comprida, ajuda bastante pois alcança espaços mais difíceis.

Também não precisa de calcanhar. Como a maior parte do seu trabalho será dedicada a perfurar e soltar a carne do osso, não vai exigir impactos sobre a tábua.

Faca Bife

A faca bife é comprida e relativamente grossa.

Seu fio de corte é reto, para garantir que ela deslize melhor na hora de fatiar os bifes.

O melhor movimento para o formato dessa faca é o de deslizar. Você desliza o fio sobre a peça, rumo à tábua, até que a faca saia e depois você repete exatamente o mesmo movimento até finalizar o corte dos bifes.

O contato da faca sobre a peça começa próximo ao cabo e termina na ponta.

É uma faca forte, porém consegue fazer esses cortes longos e delicados.

Cutelo

O cutelo possui uma lâmina retangular e costuma ser visto em açougues. Ele é bem pesado e tem o poder de cortar até ossos. Isso facilita muito a manipulação de carnes.

Por outro lado, ele não é muito fácil de manipular com legumes e frutas.

Seu calcanhar é bem grande e permite fortes impactos durante a manipulação.

Chaira

Você deve estar pensado: “Chaira não é faca!”

E você tem toda a razão: não é mesmo!

Porém, ela é fundamental para que você mantenha o bom desempenho das suas facas. Sua função é ajudar a recuperar o fio de corte.

Existe a chaira lisa, que ajuda a alinhar o fio do corte. A estriada, ajuda a recuperar esse fio, principalmente em situações que ele se encontra mais danificado. Mais para a frente você verá mais detalhes sobre isso.

Vamos ver um pouco sobre como cuidar aumentar a durabilidade das nossas facas.

Cuidados com a faca

Você sabia que simples cuidados no dia-a-dia podem fazer as suas facas terem uma vida útil mais longa? Se você acha que é bom demais para ser verdade, continue lendo e siga as dicas que separamos para você:

  • Superfícies macias são melhores: Escolha bem a superfície, na qual você irá usar a sua faca. Não corte alimentos em pratos de vidro ou porcelana, isso estraga o fio de corte;
  • Evite abrir latas com a faca: Prefira o abridor de latas, que tem uma anatomia mais apropriada para essa função, além de ajudar a evitar acidentes;
  • Use uma chaira lisa: Usar a chaira lisa, antes e depois do uso, vai manter alinhados os pequenos dentes do fio de corte. Esses dentes são invisíveis a olho nu. Além disso, o fio é conservado por mais tempo;
  • Não guarde a faca suja: Isso pode contribuir para o processo de ferrugem;
  • Guarde a faca seca: Após secar, evite tocar na lâmina, pois o suor e mesmo a umidade da mão, são oxidantes, ou seja, contribuem para o processo de ferrugem da sua faca. Pode parecer exagero, mas o processo de ferrugem começa bem antes de podermos ver a olho nu;
  • Evite guardar na bainha: A bainha é feita de couro curtido. Esse material tende a contribuir para a oxidação da lâmina;
  • Previna a oxidação: Passe silicone ou vaselina líquida na lâmina antes de guardá-la;
  • Remova o começo da oxidação: passe o lado verde da bucha de cozinha, para remover a sujeira e a ferrugem;
  • Não deixe de molho: Deixar a faca de molho ou em contato com o sabão, favorece a ferrugem e pode danificar o cabo.

Como amolar e afiar a faca?

Muita gente acha que amolar e afiar a faca é a mesma coisa. Na verdade, uma atividade complementa a outra. Amolar é o primeiro passo. Você vai precisar amolar uma faca, quando o seu fio de corte estiver torto. Para amolar, você vai precisar de uma pedra de afiar dupla face. Siga os seguintes passos:

  1. Antes do uso, mergulhe a pedra em um recipiente com água por 5 minutos.

A pedra dupla face possui um lado mais abrasivo, que vai ajudar a desgastar mais a lâmina e poderá devolver o fio de corte. O outro é mais delicado, com grânulos menores e vai ajudar a refazer a afiação.

Quando você faz a afiação com frequência, pode optar por usar apenas o lado com grânulos menores.

  1. Com uma leve pressão, passe cada lado da faca na pedra, entre 20 e 30 vezes.

Normalmente, você vai repetir esse processo dos dois lados do fio de corte, alternadamente, até que sobre uma saliência de metal. Nesse ponto, a faca ainda não estará pronta para usar.

  1. É muito importante manter o ângulo da afiação.

Para facas em geral, o ângulo de afiação recomendado, é entre 15 e 20 graus.

Após essa parte, vem o próximo passo que é afiar a faca.

Como afiar a faca?

Nessa fase, você vai precisar de um segundo elemento que é a Chaira. Ela vai afiar a faca. Há dois tipos de chaira:

Chaira estriada

Caso tenha sobrado muitas rebarbas do processo de amolação, você vai usar a chaira estriada. Essa chaira possui umas ranhuras que são conhecidas como estrias e terão o poder de remover a maior quantidade de rebarbas.

Chaira lisa

Para assentar a lâmina, antes e depois do uso, a mais usada é a chaira lisa.

Como você deve manusear uma chaira?

  • Posicione a chaira em uma superfície firme e antiderrapante, de modo que forme um ângulo de 90°.
  • Mantenha a mão de apoio firme, segurando no cabo da chaira.
  • Coloque o fio de corte da faca em um ângulo de, aproximadamente, 20°, na região próxima ao cabo.
  • Coloque o final do fio de corte (aquela parte afiada mais próxima do reforço), na parte da chaira que está próxima ao cabo.
  • Deslize o fio de corte pela parte metálica da chaira, até embaixo. Nesse movimento, o seu cotovelo irá para trás.
  • Repita o processo com o outro lado da lâmina.
  • Faça essa técnica, por volta de 10 vezes cada lado, ou até sentir que o fio de corte está bem retinho e apropriado para o uso.

Importante! Tome o cuidado de fazer esses movimentos com a lâmina na direção oposta ao seu corpo. Isso irá prevenir acidentes.

Depois dessas dicas, temos certeza que vai ficar mais fácil escolher, manusear e conservar melhor as suas facas. Conte nos comentários o que você mais gostou nesse artigo!

E aproveite para já ver sobre outros temas como defumação e produtos como as nossas tábuas de carne.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário